Livro "Jaraguá" da coleção "Meu bairro, minha cidade" aborda origem e memória do distrito

O livreto "Jaraguá" (2004) da coleção "Meu bairro, minha cidade: você também faz parte dessa história" foi produzido pela empresa Expomus a pedido da Secretaria Municipal de Educação e Secretaria Municipal de Cultura.

Capa do livro "Jaraguá" (a capa original é colorida)
Capa do livro "Jaraguá"
(a capa original é colorida)
Na época de sua publicação, a coleção visava fortalecer as comemorações dos 450 anos da cidade e preservar as memórias dos distritos.

Além do Jaraguá, a obra engloba outras duas dezenas de livretos sobre outros bairros, tais como o Ipiranga, Perus, Itaim Paulista e Sapopemba.

A versão que trata do Jaraguá especificamente possui 20 páginas diagramadas com conteúdo escrito e ilustrado com fotos e desenhos.

Os textos são de leitura bastante fácil e abrangem assuntos como origens, memórias, pontos de referência, desafios e o que há de melhor no bairro. Eles também expõem um pouco sobre a cultura indígena e a história dos imigrantes na região.

Já o conteúdo ilustrado possui imagens dos moradores antigos e novos, construções importantes, objetos como antigos bilhetes de trem usados na região, entre outras coisas, além de desenhos de mapas que representam o pedaço.

Por ter sido publicado em 2004, o livreto não aborda temas mais atuais como o da conclusão das obras do viaduto do Jaraguá e da estação Vila Aurora de trens, o que não tira seu brilho.
Todos os livros da coleção "Meu bairro, minha cidade" podem ser acessados nas bibliotecas dos CEUs e em algumas bibliotecas tradicionais como a Mário de Andrade localizada no centro de São Paulo. O catálogo do Sistema Municipal de Bibliotecas, que conta com recurso de pesquisa online, permite verificar a localização exata e a disponibilidade dos livretos a qualquer momento.

Leia também resenhas de outros livros sobre o bairro Jaraguá:

Sobre o Autor:
Marinaldo Gomes Pedrosa Marinaldo Gomes Pedrosa é formado em Jornalismo pela UniSant'Anna. Vive no bairro Jaraguá desde 1976.

Comentários