No Jaraguá, Inpe registra raios invertidos simultâneos pela 1ª vez na história do Brasil

Dois raios se dissipam simultaneamente  a partir das torres dos picos do Jaraguá é do Papagaio para as nuvens  durante a tempestade do dia 20 de outubro de 2016. Foto: Marcelo Saba do CCTS/Inpe
Dois raios se dissipam simultaneamente  a partir das torres dos
picos do Jaraguá é do Papagaio para as nuvens durante
a tempestade do dia 20 de outubro de 2016.
Foto: Marcelo Saba do CCTS/Inpe
Na quinta feira, 20 de outubro de 2016, no decorrer da tempestade que durou aproximadamente duas horas e provocou a queda de ao menos uma árvore centenária no bairro Jaraguá, pesquisadores do Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCTS) vinculado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) liderados pelo Dr. Marcelo Saba registraram, pela primeira vez na história do Brasil, uma imagem de raios invertidos simultâneos, os quais partiram das torres localizadas nos dois picos do bairro Jaraguá para as nuvens.

Os picos do Jaraguá e do Papagaio possuem respectivamente 1.135 e 1.127 metros de altitude, o que faz deles os pontos mais altos da cidade de São Paulo. O elevado mais vertical tem uma torre de 130 metros e, assim, projeta o topo para 1.265 metros acima do nível do mar.

De acordo com os dizeres do Dr. Saba publicados no site Estadão Conteúdo, essas estruturas altas acumulam carga elétrica em suas pontas e no instante em que uma nuvem de tempestade passa sobre elas, essa carga elétrica tende a se dissipar para o alto.

O pesquisador do Inpe informa que fotografou quatro raios ascendentes durante a referida tempestade e que dois deles se dissiparam simultaneamente das torres localizadas no topo dos elevados, evento que - desde o início do monitoramento, em 2012 - ainda não havia sido registrado.

Em janeiro de 2012, os pesquisadores do Inpe já haviam feito no mesmo lugar a 1ª filmagem de raio invertido. De lá para cá, constatou-se que o Pico do Jaraguá tem a maior média mundial de raios invertidosDesde 2012, uma soma de 110 raios ascendentes foram registrados neste lugar e na avenida Paulista.

1ª filmagem de raio invertido feita no Brasil, em 2012:

Os raios invertidos não podem ser detectados com nitidez pelo olho humano (tudo o que se vê é um flash esparso) e nem por câmeras tradicionais. Para registrá-los, os cientistas usam um equipamento avaliado em cerca de R$ 200 mil, o qual pode capturar imagens em uma velocidade de até 20 mil quadros por segundo.

Sobre o Autor:
Marinaldo Gomes Pedrosa Marinaldo Gomes Pedrosa é formado em Jornalismo pela UniSant'Anna. Vive no bairro Jaraguá desde 1976.

Comentários

Postar um comentário